SlideShow

Então pessoal, como todos sabem,
nosso Blog tem um grande público,
decidimos voltar a trabalhar com
publicidades. 
Aumente sua visibilidade anunciando
conosco, quem tiver interesse mande
mensagem para o e-mail de contato! 

email: dimaspereiravalgas@gmail.com

Pacotes mensais tem desconto!
0

EISOPTROFOBIA - MEDO DE ESPELHOS

Carla chega em seu apartamento no mesmo horário rotineiro. Devagar sobe as escadas e já sente novamente seu corpo começar a tremer.

Suas mãos suam de nervoso. Ela odeia aquele apartamento, não pela sua qualidade e conforto que, pelo contrário são extremamente fartos. Existem outros incômodos.

Muitos outros...

Espelhos..

São vários por todo o apartamento, se ela soubesse que um dia iria possuir essa síndrome; jamais o compraria. Mas o passado é algumas vezes como as rochas invisíveis da base de uma grande montanha; Você sabe que existem, mas reconhece que jamais poderá se aproximar.

Ela abre a porta...

São muitos espelhos, todos estão cobertos. Ela em desespero conseguiu com grande dificuldade cobri-los. Todos. "Há quanto tempo ela não se via?"

Havia um que a fazia estremecer mais. Ficava frente a sua cama. Um grande espelho que cobria toda a extremidade de um decorado pilar. Fora o mais difícil de cobrir. Dois grandes lençóis e muita fita adesiva foram necessários.

Banhou-se, alimentou-se, ouviu um pouco de musica e foi deitar-se.

O colchão era macio e o quarto reconfortante. Não tardou a torpes do imediato adormecer aproximava-se. Quando as pálpebras aproximavam-se para o temporário descansar...

Um barulho rápido a fez despertar. A fita adesiva soltara-se e o espelho a sua frente brilhou imensamente a pequena luz do ambiente.

Seu corpo travou-se, não por motivo físico algum, mas sim pelo seu psicológico não a permitir. Seus olhos olhavam fixamente para o grande espelho a sua frente. Seu corpo tremia e suava.

Ele refletia a pequena luz. Carla podia ver seu reflexo por completo. Via o seu sofrimento. Tentava fechar os olhos, mas não conseguia. 

Ela via o seu sofrimento...


Vagarosamente a pequena luz foi gradualmente diminuindo de intensidade, não porque apagava-se, mas sim porque era encoberta por uma sombra maior.

Havia mais alguém ali.

Carla olhou para o lado com grande dificuldade. Não havia nada. Olhou novamente para o espelho e a sombra aumentava cada vez mais, Cada vez mais...

Até que então um rosto que ela nunca havia visto aparece no reflexo.


O exemplo acima é uma ficção, mas acreditem! Existem milhares de pessoas com esse gigantesco medo de espelhos. Essa fobia é conhecida cientificamente como:EISOPTROFOBIA.

O medo de espelhos é conhecido por diversos nomes: Catoptrofobia, Espectrofobia e Eisoptrofobia.

Eisoptrofobia deriva-se do grego 'eis' (em) e 'optikos' (Visão).




Os nomes são muitos, mas a fobia a mesma;

A ciência diz que a maioria dos casos provém da obsessão causada pela estética desprovida e a delineação da grande estima pela auto-imagem, ainda também pela obesidade em diversos casos. Segundo dados, essas características afastam essas pessoas de conseguirem olhar-se no espelho, mesmo que seja por um segundo. E acarretam e aprofundam ainda mais este tipo de fobia.

Não se tem data determinada de quando surgiu a Eisoptrofobia, pelo contrário as ideologias remetem para quando o homem tinha somente as águas límpidas dos riachos para se observar. Nestes tempos a imagem refletida tinha em muitos lugares o significado de "A própria alma".



E é neste ponto que o Quero Medo adentra, porque como todos aqui sabemos nosso blog é referencia de arte e entretenimento para com o terror contemporâneo. Aqui: terror é cultura.

Com essa ideologia mais oculta e sombria é que vamos nos preocupar, não que seja verdade, mas sim puro entretenimento; não confunda!

Então...

Sendo o reflexo naquela remota época ainda refletido nos límpidos riachos e tendo neste tempo a representatividade da visão da própria alma. Como consequência natural, muitas visões referente a essa síndrome foram surgindo nos homens tão cativados pelo sobrenatural e o incompreensível.


Com o tempo surgiram os espelhos e tudo que conhecemos até os dias de hoje, contudo algumas figurações se mantiveram e perduram até hoje acalentando na sociedade atual figurações antigas anexadas que remetem a má-sorte ou desespero iminente.



Vejamos alguns pontos que a história dessa síndrome fazem parte de nós sem que tão pouco percebemos:

Antigamente quando o reflexo num lago fosse perturbado, ainda mesmo pela miníma folha de uma árvore, representava para o observador em épocas remotas como mau-agouro e catástrofe eminente ou desastre.

O ponto anterior gerou em nossa sociedade atual a superstição de espelhos quebrados com má-sorte ou morte, ou ainda sete anos de azar.

Algumas tribos africanas evitam olhar seu reflexo em águas tranquilas durante a noite. Temem serem mortos por maus espíritos ou crocodilos enviados para sugarem suas almas.

Em muitos países crianças com menos de um ano não são expostas à qualquer espelho, segundo a crença isso evitaria uma morte certa.

Ainda neste contexto, em diversas regiões após o falecimento de alguém em uma casa; todos os espelhos são tampados para que ninguém veja o reflexo do falecido, pois se o verem terão seus dias na terra abreviados.



Catoptromancia ou adivinhação nos espelhos era utilizada no inicio do século XVII, quando homens estudavam o reflexos de pessoas em um espelho submerso em águas límpidas.

Segundo a literatura de terror: os vampiros não possuem reflexo, pois já não possuem alma. Logo a lenda vira literatura.



Em diversos casos (não todos) esquizofrênicos ou pessoas com insuficiências renais tendem a adquirir a Eisoptrofobia.    

Certas culturas cultuam que se acender uma vela frente ao espelho isso atrairia espíritos para dentro dele.

Os sintomas mais comuns são:

Evitação de espelho;
Tremedeira / Agitação;
Pensamentos de morte;
Gritar, chorar, tentar fujir;
Taquicardia, respiração superficial, pupilas dilatadas, sudorese,
Ataques de ansiedade e de pânico;

Os tratamentos devem seguir orientações psiquiátrica. 

Como o QUEROMEDO não é médico, recomendamos, caso você precise, que procure um, pois infelizmente não devemos ou podemos divulgar algum tipo de tratamento.

Essa associação tenebrosa com os espelhos parece fazer parte da humanidade. Persegue o homem por séculos associando o espelho ou reflexo a algo que pode tornar-se tenebroso e fúnebre.

A Eisoptrofobia é uma fobia extremamente assustadora e terrível que afasta muitos de um ato tão comum que é de simplesmente ver o seu reflexo.

E como você ousaria olhar se achasse que algo surgiria ali ao seu lado? 

Que faria você se visse uma figura desconhecida enquanto penteava o cabelo? Quanto tempo ficaria olhando caro leitor? 

Quanto tempo você olharia para esse rosto tenebroso que te observa enquanto você escova os dentes?

Me diga caro leitor: Você olharia para os espelhos?

Muito obrigado a todos pela visita. Se tiverem relatos podem postar nos comentários.

Que tal agora dar uma olhadinha?

No espelho...

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e faça um blogueiro feliz.. :)